Prefeitura de Goiás sinaliza de forma positiva para volta de torcida; Governo veta

O governador Ronaldo Caiado não aceitou bem a volta da torcida, diferente do prefeito Pitta

por Agência Futebol Interior

Aconteceu na manhã de hoje(24), uma reunião para discutir a volta do torcedor aos estádios de futebol. Estiveram presentes no Paço Municipal, o Prefeito de Goiânia Iris Rezende, André Pitta, presidente da Federação Goiana de Futebol, Romário Policarpo, Presidente da Câmara de Vereadores, além de vice-presidente do Vila Nova e também, o Vereador Zander Fábio, conselheiro do Atlético – GO.

Em entrevista ao Sistema Sagres de Comunicação, o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta, falou sobre o teor da reunião e o que foi levado para a análise da equipe técnica da Prefeitura de Goiânia.

“Reunimos com o Prefeito, com o Presidente da Câmara, Romário Policarpo e com o Vereador Zander. Todos eles muito empenhados na questão de atender bem o futebol, o torcedor goiano e os clubes. Trouxemos ao Prefeito um relatório e um plano de trabalho estudado pela CBF, por vários profissionais da área de saúde pra que pudesse ter um planejamento dessa retomada do público. É bom frisar que tratamos um público de até 30%, pois podemos começar com número de 10% ou 15% e ir evoluindo gradativamente”, destacou.

LIBERAÇÃO DA CBF
O presidente da FGF ainda destaca os itens produzidos pela CBF e também o apoio do Ministério da Saúde ao estudo. Segundo André Pitta, existe uma boa vontade por parte do Prefeito Iris em considerar a volta do torcedor aos estádios e a Secretaria Municipal de Saúde irá avaliar a documentação levada nessa reunião.

Torcida foi vetada de voltar em Goiás
Torcida foi vetada de voltar em Goiás
“São 16 itens que a CBF coloca nesse plano, desde campanhas, uso de máscaras, aferir temperatura e várias outras ações estão inclusas. Trouxemos também um documento do Ministério da Saúde, onde aprova esse estudo que a CBF fez e considera viável pra retomada do torcedor ao estádio. É claro que ele (Ministério da Saúde) deixa essa autonomia aos municípios e estados, pois já ficou definido em outros casos. Então trouxemos ao Prefeito (Íris Rezende), e ele, está encaminhando para a Secretaria de Saúde Municipal. Será feita uma avaliação técnica também. Vimos do prefeito uma boa vontade de ter o torcedor de volta, com toda a segurança e cuidado. Se daqui a pouco vários municípios e estados do futebol começarem a retomar o público, aqui não terá dificuldade”, ressaltou André Pitta.

PRAZO!
Em relação a um prazo para obter resposta seja da Prefeitura de Goiânia ou da Secretaria de Saúde Municipal, André Pita acredita que é algo variável.

"Acho que isso não tem prazo, foi o que falei com o Prefeito. Pode ser que a equipe técnica avalie pra uma semana, quinze dias ou um mês. A gente não sabe, vai depender da avaliação do que eles estão fazendo e também, de uma avaliação do que está acontecendo no dia a dia do nosso município. Estamos falando principalmente de Goiânia, onde os clubes estão disputando a Série A e a Série C. Temos que avaliar a evolução da doença em Goiânia e isso tudo vai ser avaliado pela equipe técnica da Prefeitura, pra que a gente veja qual o melhor momento de retomar. Não sentimos nenhum tipo de resistência da Prefeitura por conta disso, o trabalho que tem sido feito em relação a contenção da doença é muito bom, e isso vai acabar contribuindo pra que nós possamos ter o torcedor de volta ao estádio”, comentou Pitta.

POLÊMICA!
O assunto em torno da volta do torcedor aos estádios é polêmico, divide opiniões. Há quem defenda a volta, como também tem quem seja contra, e André Pitta respondeu qual seu pensamento em relação a esse processo de possível volta dos torcedores aos jogos.

“O pensamento é que precisamos ter o torcedor de volta, mas com sabedoria, inteligência e cuidados. Temos que unir tudo isso, estamos vendo vários pontos que foram atendidos. O comércio voltou a funcionar, os ônibus estão funcionando, então muita coisa voltou a funcionar. Alguns estão funcionando dentro de um padrão muito bom, outros nem tanto, mas isso tem que voltar a acontecer. A vida tem que começar a voltar em todos os pontos e o futebol precisa do seu torcedor e o torcedor precisa chegar no final de semana e ter um lazer, pra ocupar sua cabeça, poder distrair. Essa doença prejudicou muitas pessoas, muitos ficaram abalados. É um conjunto de fatores que precisamos ter bastante tranquilidade, calma, pra retomar no momento certo e não trazer nenhum prejuízo pra ninguém, e também, não deixar os clubes na situação difícil de não ter seu torcedor presente”, finalizou André Pitta.

*Por Paulo Massad, Rádio Sagres