Internacional reclama do número de pessoas nas arquibancadas da Arena Castelão

O Fortaleza, por sua vez, soltou uma nota garantindo estar cumprindo todo o protocolo feito pela CBF

por Agência Futebol Interior

Porto Alegre, RS, 21 (AFI) - O Internacional levantou uma polêmica ao reclamar de um pênalti não marcado pelo árbitro Marielson Alves Silva de Paulão em Musto na derrota para o Fortaleza, por 1 a 0, na Arena Castelão.

O vice-presidente de futebol Alessandro Barcellos citou uma pressão vinda de "mais de 80 pessoas nas arquibancadas" quando Marielson Alves Silva foi analisar o lance no VAR.

"Hoje a arbitragem foi ruim. Para não dizer mais. O pênalti foi pênalti. No mínimo igual aos que foram marcados contra o Inter, como o do Rodinei. A arbitragem foi até o VAR, tomou pressão. Tinham mais de 80 pessoas nas arquibancadas. É inadmissível", disse o dirigente colorado.

Inter e Fortaleza se enfrentam no Castelão (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)
Inter e Fortaleza se enfrentam no Castelão (Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

RESPOSTA DO FORTALEZA!
Por sua vez, o Fortaleza soltou uma nota oficial garantindo que cumpre todas as normas do protocolo feito pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a retomada do Campeonato Brasileiro.

"O Fortaleza Esporte Clube vem cumprindo com todo o protocolo estabelecido pela CBF em dia de jogos. Reiteramos ainda que seguimos rigorosamente o protocolo do Governo do Estado, além das diretrizes da CBF, com o acompanhamento direto da diretoria responsável.

A relação com todos que trabalham em dia de jogos é enviada para a CBF e conferida atentamente na checagem que acontece na Arena Castelão para a distribuição dos crachás de acesso", afirmou o clube.

COLORADO VÃO DE BARCO SALDAR TIME

O QUE DIZ O PROTOCOLO
De acordo com o protocolo feito pela CBF para a retomada do Brasileirão, o número máximo de pessoas nos estádio é de 300. A divisão é feita da seguinte forma: 16 da CBF, sete da federação do estado, 12 da arbitragem, 84 dos delegações dos clubes, 19 dos clubes (outras funções essenciais), 90 da imprensa, 42 do estádio, 19 de serviços e 11 da força pública.