Dirigente revela suposta "mala preta" para livrar Inter do rebaixamento

Colorado seria rebaixado se perdesse para o Paysandu na 29ª rodada do Brasileirão de 2002

por Agência Futebol Interior

Belém, PA, 23 (AFI) - Arthur Tourinho, ex-presidente do Paysandu, voltou a tocar em um assunto polêmico pelos lados da Curuzu e também do Beira-Rio. Ele revelou que alguns jogadores do Paysandu se venderam para salvar o Internacional do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2002.

"Quatro (jogadores se venderam). E teve mais dois ou três conselheiros que me procuraram à noite", disse ele ao GE na Rede.

Assunto polêmico na mesa. (Foto: Reprodução)
Assunto polêmico na mesa. (Foto: Reprodução)
Na 29ª rodada daquele ano, o Paysandu estava livre do rebaixamento, mas o Inter desceria para a Série B se perdesse o jogo. O Colorado venceu por 2 a 0 e se manteve na elite nacional.

Ao saber que alguns jogadores tinham se vendido, Tourinho ofereceu uma bonificação ao elenco de R$ 50 mil e chegou a levar a grana para o vestiário, mas não adiantou.

"Levei R$ 50 mil e vou dar o nome do Marco Aurélio, que era presidente da Amazônia Celular, que patrocinava o Paysandu. Procurei por ele, que deu R$ 30 mil em espécie e eu botei, do Paysandu, (mais) R$ 20 mil. Na preleção, como eu estava sendo muito pressionado e sabia que tinha "boi na linha", levei (o dinheiro) e mostrei para eles (jogadores)", lembrou ele.